xxx72 Porto XXI - Cultura
Home

Sexshop Ousadias

Estado do Tempo C

Pouco Nublado

02 Mar - 23:00

Tempo

Mapa

Jornal

Farmácias

Empresas

Onde Comer

Noite

Classificados

Contactos

Pesquisar

Porto XXI
Takitudo

Ficha de Museu

Casa Museu Guerra Junqueiro

Museu

Endereço:

Rua de D. Hugo nº 32

4050-305

Contactos:

Tel: 222003689   Fax: 222086029

Abordar a vida e obra de um homem notável como Guerra Junqueiro é sempre um desafio delicado.

Abílio Manuel Guerra Junqueiro nasceu a 15 de Setembro de 1850, em Freixo de Espada-à-Cinta, passando grande parte da sua vida entre a Rua da Boavista e a Rua Santa Catarina, no Porto, sempre em casas alugadas, de tamanho reduzido.

A sua vida, sempre repleta de movimento e vivacidade é descrita por certos momentos mais marcantes e que de forma inconfundível retractam o homem.

Desde de muito cedo demonstrou o seu talento e vocação, publicando os seus primeiros versos em 1864, com apenas quatorze anos.

Os seus estudos foram marcados por certas tendências dominantes na personalidade do homem. Matricula-se em 1866 no curso de Teologia da Universidade de Coimbra, mas decide mudar para Direito dois anos mais tarde, curso que termina com 23 anos de idade.

A partir de então seguem-se as obras literárias entremeadas por poemas de ideias políticas, sociais e revolucionárias.

A sua intrusão nas lides políticas sempre se fez notar e em 1879 é eleito deputados por Macedo de Cavaleiros.

Casa-se então em 1880 com Filomena Neves, com quem teve duas filhas, Maria Isabel e Julia Francisca.

Guerra Junqueiro, homem de personalidade forte, perspicaz, alegre e com gosto pela vida.

Simples nos trajes mas cuidadoso na aparência, com seu bigode farto e olhar aquilino.

A força que o movia era a justiça e a convivência harmoniosa e livre entre os homens. Este, era o propósito, o sonho expresso nas suas obras literárias.

O homem veio a falecer, a 7 de Julho de 1923, em Lisboa deixando para trás o sonho de uma casa onde pudesse expor todas as peças que coleccionou ao longo dos anos e um maravilhoso espólio literário do qual se destacam: A morte de D. João, O crime, A fome no Ceara, os Veteranos da Liberdade...

Em 1940 o sonho tornou-se realidade, quando sua esposa e sua filha Maria Isabel doaram o palacete da Rua de D. Hugo nº15, à Câmara Municipal do Porto juntamente com um espolio de 600 peças que o escritor e poeta reuniu de diversas viagens que foi realizando, embora seja de salientar que o poeta nunca lá viveu, e que para a realização desta homenagem as suas habitações na Invicta foram consideradas demasiado pequenas para se ajustarem ao museu.

O edifício da Casa - Museu Guerra Junqueiro data de 1730 e pertenceu à família portuense dos Freire de Andrade.

É constituída por dois pisos. A fachada da casa revela-se ainda mais imponente, ostentando o brasão em granito trabalho, colocado sobre a porta principal, evocativo das famílias nobres que habitaram o palacete.

O referido palacete passou então de gerações em gerações até que em 1934 caiu na posse dos herdeiros de Francisco Sales Pinto de Mesquita, entre os quais se contava o Dr. Luís Augusto Pinto de Mesquita

Carvalho, marido de Maria Isabel Guerra Junqueiro, que no desejo de cumprir o sonho de seu pai comprou as restantes partes do palacete aos outros herdeiros e o doou à Câmara Municipal do Porto, com a condição de que nele fosse instalado o espólio de seu pai.

Após diversas fases de reconstrução e restauro o museu reabre em Dezembro de 1997.

Um espaço renovado, oferece acolhimento às pessoas que o visitam. Com uma cafetaria bastante agradável, uma sala para consulta das obras do Poeta e uma sala de exposições temporárias que visa a divulgação de diversas áreas actuais e de interesse publico.

Ao entrar no pátio Casa Museu-Guerra Junqueiro deparamos com a sua imagem, esculpida em bronze. No átrio da casa é a recepção, neste recinto encontramos então de um lado a cafetaria e do outro um espaço com postais, livros e diversas publicações da casa - museu.

Continuando a exploração do museu, deparamos ao fim de um pequeno lanço de degraus graníticos com as salas das pratas e de conferências. Subindo mais um lanço de escadas descobrimos algumas peças rigorosamente legendadas e as imagens de Maria Isabel e do poeta com alguns apontamentos biográficos de cada uma das imagens.

Já no segundo andar do edifício encontramos diversas divisões como a sala da Catedral, a sala de D. João V a sala de família, entre outras. Aqui estão expostas as peças que o poeta foi coleccionando ao longo da sua vida, salientando-se uma colecção de arte Sacra, faiança de Viana, pratos de Nuremberga, cerâmicas, mobiliário e muito mais.

Este constitui um lugar de passagem quase obrigatória para quem presa o encontro com a literatura e a natureza, pois muito embora se localize na cidade o sentimento que se nos desperta é o da ausência de stress e confusão que quotidianamente cerca os portuenses. É sem duvida um local aprazível e convidativo a momentos de reflexão e bem estar psicológico.

TRANSPORTES

Autocarros

Clique >> Mapa da Linha

1

Matosinhos

Prç Almeida Garrett

49

Alfândega

Hosp.S.João

23

Pr.Batalha

Boavista

20

Pr. da Liberdade

Pr.da Liberdade

35

Campanhã

Gomes da Costa

91

Pr.Almeida Garrett

Valadares

57

Pr.Almeida Garrett

Madadena

HORÁRIO

Terça a sábado
10.00-12.30/ 14.00-17.30
Domingo
14.00-17.30
Encerra segundas e feriados

PREÇOS

2 euros

 

 

Opções

Sugerir a um amigo

Imprimir Ficha
 Localizar no:

Mapa de Bolso

Mapa Interactivo

 

[Adicionar aos Favoritos]    []    [Webmasters- Coloque no seu site]    [Recomende a um amigo]

[CHAT]    [Livro de Visitas]    [Crianças Desaparecidas]    [WebDesign]

Copyright © 1999 PORTOXXI.com - Todos os direitos reservados